Setor de tecnologia cresce mais de 60% durante a pandemia da Covid-19

Em contrapartida, contratações diminuíram no começo da pandemia da Covid-19, em 2020

Segundo levantamento realizado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e pelo LinkedIn, a partir do portal CNN, o segmento de Tecnologia da Informação (TI) foi o que mais avançou durante a pandemia da Covid-19 na América Latina, tendo um crescimento de mais de 60% no volume de contratação ante o período investigado. De acordo com a executiva sênior de Recursos Humanos (RH), o resultado é oriundo do fato do home office exigir profissionais de TI, “indicando os softwares e hardwares para que elas [empresas] funcionem da maneira esperada”, afirma. 

Além disso, ressalta-se que as contratações foram reduzidas no começo da pandemia da Covid-19. No LinkedIn, a taxa alcançou o número mais baixo em abril de 2020, caindo 70% na comparação com janeiro daquele mesmo ano. Até o mês de setembro do ano passado, o número ainda estava abaixo da quantidade de contratações feitas antes do período pandêmico. O estudo investigou contratações realizadas antes, durante e após a pandemia. 

Setor de TI mostra crescimento de vagas de trabalho

Ainda falando sobre o setor de tecnologia e TI, o que inclui lidar com um DBA, por exemplo, segundo a Associação das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e de Tecnologias Digitais (Brasscom), a partir do portal G1, o país deve apresentar cerca de 673,5 mil novas vagas de 2022 até 2025, apontando também que as organizações ainda possuem dificuldades em encontrar profissionais qualificados. 

Destaca-se que, desde o começo da pandemia da Covid-19, as organizações de vários segmentos enfrentaram dificuldades em se adaptar ao teletrabalho, tendo que investir em infraestrutura digital para oferecer condições favoráveis de trabalho. De acordo com relatório do Empregos.com.br, site divulgador de vagas, o setor de tecnologia avançou, sendo uma das áreas com mais contratações no ano passado, com mais de 100 vagas. 

Hoje, o país é o 10º maior mercado mundial no setor de tecnologia. Na América Latina, ocupa o primeiro lugar, responsável por 40% do total, de acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Software (Abes). Ainda foi mostrado que a função mais buscada no setor foi a de programação. Apesar disso, o segmento é versátil e possui diversas atividades em diversos setores de empresas privadas e públicas. O profissional pode, por exemplo, atuar na área de transporte, comércio, saúde, indústria, entretenimento e outros. 

“Essa mudança do físico para o digital era uma tendência que já estava prevista no mundo dos negócios. É um mercado muito volátil e com muitas novidades. A tecnologia 5G de internet, por exemplo, é um fator que promete trazer novas perspectivas ao mercado, e a demanda por pessoas capacitadas irá aumentar ainda mais. Em média, o Brasil capacita 46.000 pessoas por ano para trabalhar em TI, isso em cursos superiores (graduação e tecnólogos) e técnicos, mas há uma demanda para 70.000 profissionais por ano. O profissional de TI pode atuar em diversas áreas, por isso é necessária a atualização profissional e um olhar dinâmico”, diz docente do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac).

Encontre publicações de diversos segmentos e nichos só aqui no portal Universo de Negócios!