Pesquisa aponta que a pandemia de Covid-19 estimula a prática de esportes

Necessidades dos consumidores vão sendo renovadas a partir do surgimento de novas modalidades de esporte

Dados de pesquisa realizada pelo Google, em novembro de 2020, combinados com pesquisas de 2006 a 2020 da consultoria Sport Track abordaram o comportamento do brasileiro em relação às atividades físicas. De acordo com o estudo, 39% das pessoas alegaram terem iniciado uma prática de esporte durante o período de pandemia de Covid-19, essencialmente caminhadas (39%), corrida (18%) e bicicleta (10%). Além disso, entre janeiro de 2017 e novembro de 2020, a procura por “mindfulness” e “meditação” aumentou em mais de 113% no buscador.

“Essas práticas fazem parte de uma tendência global do ‘estar bem’, o que intensifica a procura por formas de se manter saudável e melhorar a qualidade de vida e impulsiona o crescimento do interesse por novas atividades físicas”, aponta José Melchert, responsável por negócios para varejo do Google Brasil.

A pesquisa do Google ainda apresentou que 41% dos brasileiros fazem exercícios físicos ao ar livre e 23% procuram artigos para usarem em áreas externas, em esportes como skate e surfe, os protagonistas, que tiveram uma alta de 550% e 672%, respectivamente, nas buscas do Google nos últimos cinco anos. Além disso, mostrou-se que dois em cada três brasileiros não estão satisfeitos com as práticas de atividades físicas atuais, sendo as barreiras principais a falta de tempo (25%) e o cansaço (21%).

Padrões de consumo

De acordo com o estudo, 58% dos entrevistados alegaram se exercitar três vezes por semana ou mais, isto é, mais da metade dos que disseram fazer a compra de artigos esportivos duas ou mais vezes ao mês. Isso mostra que o ritmo de compra de artigos esportivos está ligada à constância da realização de algum esporte ou exercício físico. 

Além disso, a moda interfere diretamente no consumo. Entre os motivos de compra, uma a cada quatro pessoas dizem usar os produtos esportivos no cotidiano, não apenas em momentos de treino. “Essa relação mais plural com os esportes é o momento para as marcas e varejistas expandirem os seus portfólios e relação com os consumidores, oferecendo produtos, conteúdos e experiências que fomentem as novas paixões e práticas dos brasileiros”, diz José Melchert. “Elas têm um papel de ajudar os brasileiros a inserir exercícios e esportes em suas rotinas, seja indoor ou outdoor, promovendo bem-estar e qualidade de vida”, complementa.

Surgimento de modalidades

As demandas dos consumidores também vão sendo renovadas a partir do surgimento de novas modalidades de esporte. De acordo com estudo da Sport Track, o futebol permanece importante, mas o brasileiro passou a acompanhar outras modalidades de acordo com os anos. Entre elas, as que tiveram destaque foram o vôlei, com 41% de menções em relação a 26% da última análise, basquete (21% contra 8%) e natação (16% contra 12%). 
Sobre a prática de atividades físicas, a caminhada foi citada por 30% dos entrevistados e, o futebol, por 29%. Ainda foram citadas a corrida (23%) musculação (16%) e ciclismo (11%). Assim, para quem pratica atividade física, é importante contar com uma clínica de fisioterapia.

Encontre publicações de diversos segmentos e nichos só aqui no portal Universo de Negócios!