Pesquisa aponta que 52% dos lojistas utilizam um ERP no e-commerce

Temporada de compras na Black Friday de 2021 superou as vendas do ano anterior

De acordo com pesquisa realizada pela Lexos em conjunto com o E-Commerce Brasil, 52% dos lojistas fazem uso de algum Enterprise Resource Planning (ERP), um sistema integrado de gestão empresarial, para administrar as vendas via comércio eletrônico. Entre diversas alternativas, 45% dos comerciantes utilizam também uma plataforma de e-commerce; e 43% utilizam planilhas de controle manual. A pesquisa descobriu outros números referentes à gestão empregada pelos lojistas: 27% usam hub de integração; 21%, gateway de pagamentos; 17%, faturador de nota fiscal; 13%, CRM; 7%, plataforma logística; e 3%, WordPress.

Pontos de dificuldade e conhecimento sobre comércio eletrônico

Em relação às dificuldades, 43% dos respondentes apontaram que, quando o assunto são plataformas, as ferramentas são os principais empecilhos; na sequência, a falta de um suporte (39%). Além disso, para 35% o maior desafio são os preços; para 33%, a falta de integração. Por fim, 25% indicaram que a falta de estabilidade é o maior problema. Na pesquisa, os respondentes podiam escolher mais de uma opção de resposta. 

Sobre os conhecimentos em comércio eletrônico, 65% dos lojistas procuram cursos para adquirir saberes sobre o assunto. Já 52% deles assistem a webinars e lives sobre o tema. Além disso, 47% usam plataformas de redes sociais; 45%, blogs; e 31% usam eventos. 

O estudo ainda trouxe novas respostas no que se refere às fontes para adquirir conhecimento a respeito do e-commerce: 25% procuram influenciadores; 29%, newsletters; 21%, excelência própria; e 21%, consultoria. Vale ainda ressaltar a importância de uma agência de Inbound Marketing quando o assunto é estratégia para e-commerce.

E-commerce faturou R$ 4 bilhões na Black Friday de 2021

Falando em e-commerce, o relatório “Black Friday 2021”, publicado pela Social Miner, em parceria com All iN, Bornlogic, Delivery Direto, Neotrust, Octadesk, Vindi, Opinion Box e Lett, apontou que a Black Friday de 2021 ficou acima da margem alcançada em 2020. O auge das vendas foi entre às 10h e 14h do dia 26 de novembro. Só na sexta-feira, o faturamento chegou a R$ 4,04 bilhões – 4,5% acima do número de 2020. Já quando consideradas as vendas de quinta e sexta, o número é de R$ 5,41 bilhões – 5,8% acima do ano anterior. 

O relatório mostra ainda o comportamento das pessoas entre os dias 30 de outubro e 26 de novembro de 2021, trazendo em conjunto um comparativo dos resultados do mesmo período de 2020. Com isso, foi mostrado que, a partir da segunda semana de novembro, as pessoas iniciaram as visitas a sites com maior força e começaram a se preparar para as compras do evento – tanto a Black Friday como a Cyber Monday. 

Segundo o levantamento, as vendas foram boas a partir da segunda semana de novembro, mas despontaram na época mais próxima ao evento. No ranking de vendas, Moda e Acessórios ficou em primeiro lugar, seguido por Beleza e, logo após, Alimentos e Supermercados. Em relação à região com mais vendas, o Sudeste se destaca, sendo também a segunda localidade que mais avançou neste ano. A região Sul cresceu 22% ante 2020.

Encontre publicações de diversos segmentos e nichos só aqui no portal Universo de Negócios!