Dados indicam que setor de moda é o que mais cresce no e-commerce brasileiro

Tíquete médio do brasileiro está entre R$ 20 e R$ 30

De acordo com a pesquisa Me Envia, realizada pelo Melhor Envio, plataforma especializada em gestão de fretes do Grupo Locaweb, o setor de moda é o que mais apresenta crescimento no comércio eletrônico do Brasil. Além disso, também é o setor com o número de vendas mais alto de itens por pessoa entre todas as indústrias nacionais durante a pandemia da Covid-19. 

A empresa analisou mais de 9 milhões de transações realizadas na plataforma entre os meses de janeiro e novembro do ano passado. Foi percebido que o setor de moda é o que possui o maior volume de produtos vendidos, alcançando a marca de 1,8 milhão de itens comercializados durante o período investigado na pesquisa – aproximadamente, 19% do Melhor Envio. O número é quase o dobro do que foi vendido no segmento de joias e relógios (887.000 itens) – segmento que ocupou o segundo lugar no ranking dos mais vendidos. 

Ainda em relação ao setor de moda, o crescimento nas comercializações também foi notado nos meses em que havia restrições de circulação mais fortes por conta da pandemia da Covid-19. Em abril, foram vendidos 50.000 itens via e-commerce. Já no mês seguinte, esse número avançou mais de 100.000. “O consumo on-line de itens de moda sempre foi alto, mesmo antes do isolamento social. Mas, com mais tempo para cuidar de si, as pessoas deram uma atenção ainda mais especial para isso”, aponta Éder Medeiros, CEO do Melhor Envio.

O fechamento do comércio, o avanço natural do comércio eletrônico na época e a diminuição dos valores de fretes foram os motivos para esse resultado, de acordo com o CEO do Melhor Envio. “Com o aumento da demanda e o uso de novas tecnologias, a média do frete caiu de R$ 30,11 para R$ 27,23 durante a crise causada pela Covid-19”, comenta. 

Gastos dos brasileiros

Ainda segundo a pesquisa, o tíquete médio, em quase todos os setores, permanece entre R$ 20 e R$ 30. Nas principais categorias encontramos: moda, R$ 24,41; alimentos e bebidas, R$ 30,57; papelaria e armarinho, R$ 27,37; e beleza e cuidado pessoal, R$ 26,59.

Crescimento do mercado de moda gera novas oportunidades para empreender

De acordo com artigo publicado no Valor Investe por Arthur Braga Nascimento, advogado, coordenador e fundador da legaltech B.onuz, sócio do BNZ Advogados e diretor jurídico do MitHub e da Arena Hub, o setor de moda é um segmento tradicional e importante para a economia mundial, sendo a área com o faturamento global mais elevado no e-commerce B2B, com vendas na casa dos US$ 525 bilhões ao ano. O setor cresce em média 11,4% ao ano. E, além disso, espera-se um faturamento de US$ 1 trilhão para 2025. Assim sendo, ressalta-se que, com o crescimento do setor de moda, novas oportunidades para empreender estão surgindo. A Kaisan, por exemplo, pode ajudar as pessoas a empreenderem com produtos para revender direto da fábrica.

Encontre publicações de diversos segmentos e nichos só aqui no portal Universo de Negócios!