Atividade física

Atividades físicas não superam os danos de uma dieta pobre

Pessoas que praticam atividade física e têm uma dieta de qualidade apresentam menor risco de morrer

Segundo estudo feito por pesquisadores da Universidade Sydney e publicado na revista científica British Journal of Sports Medicine, a partir do portal da CNN, a prática de atividades físicas em patamares elevados não é o suficiente para cobrir os reflexos negativos de uma dieta deficiente em nutrientes e diminuir o risco de morte por qualquer motivo. Na investigação, os cientistas notaram que indivíduos que possuíam altos níveis de atividade física e uma dieta de qualidade elevada possuíam menor risco de vir a óbito. Assim, fica evidente que não dá para superar uma dieta pobre.

O estudo ainda investigou os efeitos separados e em conjunto da dieta e atividade física com todas as causas de morte, doenças cardiovasculares e mortalidade por câncer por meio de um banco de dados do UK Biobank, com informações de 360 mil adultos britânicos. De acordo com a autora principal do artigo, professora associada do Charles Perkins Center e da Faculdade de Medicina e Saúde da Universidade de Sydney, “Tanto a atividade física regular quanto uma dieta saudável desempenham um papel importante na promoção da saúde e da longevidade”.

Ela havia avaliado que alguns indivíduos creem que podem compensar reflexos de uma dieta pobre executando níveis elevados de exercício, “Mas os dados mostram que infelizmente esse não é o caso”, disse Melody em um comunicado. Os resultados da pesquisa mostram que aqueles que possuíam níveis elevados de atividade física e dieta de qualidade elevada diminuíram o risco de mortalidade em 17% por todas as causas, 19% por doenças cardiovasculares e 27% por cânceres selecionados, ante aqueles com dieta menos rica e com pouca prática de atividade física. O coautor do estudo, da Escola de Saúde Pública da Faculdade de Medicina e Saúde, apontou que “Aderir a uma dieta de qualidade e atividade física suficiente é importante para reduzir o risco de morte por todas as causas, doenças cardiovasculares e câncer”. 

Musculação é melhor do que exercícios aeróbicos para dormir bem

Ainda sobre atividade física e bem-estar, que envolve uma clínica de RPG SP, por exemplo, de acordo com estudo da American Heart Association, a partir do portal UOL, praticar exercícios que trabalham o fortalecimento muscular, como a musculação, é melhor do que realizar atividades aeróbicas para melhorar a duração e qualidade do sono. Além disso, também há reflexos na saúde do coração, uma vez que rotinas de sono ruins e irregulares estão ligadas a um risco mais elevado de desenvolvimento de pressão alta, aterosclerose e eventos cardiovasculares, como o infarto, por exemplo.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

COMPARTILHAR