Pesquisa mostra que e-commerce deve crescer 22% ao ano em toda América Latina

De acordo com a DHL, líder em logística global, estima-se que o setor de venda online cresça, aproximadamente, 17% até o próximo ano. Além disso, pesquisas apontam que o e-commerce terá um crescimento de 22% ao ano em toda a América Latina, sendo analisado em três setores e regiões diferentes, como Brasil e México, com mercados maiores; Colômbia, Argentina, Chile e Peru, com mercados de médio porte; e América Central e Caribe, que possuem mercados menores.

O sócio de uma boutique com e-commerce de roupas e acessórios ainda menciona que os dados mostram potencial imensurável do e-commerce, já que, com menos de três décadas no país, o segmento movimenta bilhões anualmente, além de gerar diversos empregos.

No entanto, a pesquisa revela que as redes sociais, a relevância dos grandes marketplaces e os problemas de logística são fatores fundamentais a serem avaliados pelas empresas para o sucesso de suas vendas online. Desta forma, o relacionamento com o cliente está totalmente atrelado ao crescimento do faturamento das lojas e e-commerces.

Pensando nisso, adversidades como congestionamentos, lentidão no processo, complexidade nos processos de logística, em casos de devolução ou trocas, e outros prejudicam o desenvolvimento da empresa, principalmente no segmento de roupas e acessórios.

Além disso, ao comprar uma cueca em uma loja, por exemplo, há chances de o consumidor trocá-la por conta de tamanho ou caimento, visto que não é possível experimentá-la, tanto na loja quanto em compras pela internet. Portanto, uma das maiores dificuldades do setor de e-commerce, hoje em dia, são os altos índices de troca.

No Brasil, 25% das compras totais correspondem às devoluções, enquanto, nos Estados Unidos, as taxas de troca nos setores de moda chegam a 50% nos e-commerces e 9% nas lojas físicas.

Um e-commerce, portanto, funciona como uma alternativa para a venda de produtos e serviços, apenas com a internet como meio de propagação e finalização da compra. Sendo assim, constitui-se um negócio digital, e a transação é realizada totalmente por meio da internet, seja por transferência, boleto bancário ou pagamento no cartão de crédito/débito do comprador.

Seu centro de distribuição deve contar com, pelo menos, cinco principais elementos, como infraestrutura eficiente, regulamentação comercial e aduaneira, conhecimento específico de logística, cooperação entre indústrias e zona de livre comércio para o planejamento de um e-commerce.

Segundo pesquisas realizadas pelo Crunchbase, a expectativa para o setor de e-commerce em vendas do varejo é de 21,3% a mais em 2020, em relação aos anos passados. No Brasil, neste ano, o segmento terá um aumento de US$ 19,5 bilhões para US$ 28 bilhões, somando 43,5%, de acordo com a Euromonitor e PayPal. Portanto, considera-se que o setor possui alto potencial de crescimento no Brasil e em todo o mundo.

A Cueca Store, uma loja de cueca e moda íntima masculina, tem como objetivo ofertar seus produtos de forma fácil e eficiente por meio da compra online. No site, é possível comprar cuecas de qualidade e recebê-las em casa no prazo estabelecido, além de contar com o conforto e segurança que a marca oferece.

Avatar

Encontre publicações de diversos segmentos e nichos só aqui no portal Universo de Negócios!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *