Pesquisa aponta que vendas no e-commerce cresceram 13,5% no Brasil em 2019

Segundo indicadores da Mastercard, as vendas do comércio eletrônico cresceram 13,5% no último ano, já as vendas totais do setor de varejo aumentaram 1,5%. No mês recorde de vendas, Dezembro foi destaque para o segmento do varejo, visto que as vendas aumentaram 2%, incluindo o e-commerce. Enquanto isso, o varejo total se desenvolveu em 2,5% sobre o ano anterior.

Ainda assim, o diretor de análises avançadas da Mastercard no país, Cesár Fukushima, afirma que os saques do FGTS afetaram o crescimento das vendas online. Além disso, ele também menciona que a taxa de desemprego apresentou melhorias, promovendo um aumento na renda real e trazendo um bom resultado para o setor do varejo em 2019.

Esses dados, portanto, foram analisados a partir de relatórios de pagamentos na rede conveniada da empresa Mastercard que, foi estabelecida com cálculos baseados em pesquisas sobre outras formas de pagamento, como dinheiro e cheque.

O indicador estabelece informações sobre as tendências gerais de gastos no setor de varejo em todo o Brasil com diversas formas de pagamento, principalmente no quarto trimestre, quando as vendas no comércio eletrônico atingiram até 20%, segundo a Mastercard SpendingPulse.

Vale considerar que o Mastercard SprendingPulse é um indicador macroeconômico de vendas no setor de varejo que analisa todos as formas de pagamento em alguns mercados em todo o mundo. Entretanto, seus relatórios e previsões esperadas de tendências de gastos não possuem relação com o desempenho operacional ou financeiro real da empresa Mastercard ou dados específicos do emissor do cartão de pagamento.

Além disso, as taxas de vendas no varejo em diferentes regiões do Brasil também obtiveram um desempenho acima da média nacional no mês de dezembro, tais como Sul (5,7%) e Centro Oeste (2,7%). Enquanto as regiões Norte, Nordeste e Sudeste apresentaram baixo rendimento em relação aos demais, com taxas de 0,8%, 0,1% e 1,4%, respectivamente, em relação ao mesmo período no ano anterior.

Ao total, existem oito modelos de e-commerces, que se determinam como uma alternativa para a compra de produtos e serviços no meio digital, ou seja, por meio de compras online e pagamentos por transferências bancárias, boletos bancários, cartões de crédito e débito.

São diversos modelos que podem ser apresentados como Business to Consumer (B2C), também chamado de Negócio para consumidor, Consumer to Business (C2B), que significa Consumo para Empresas, Business to Business (B2B), venda de Empresas para Empresas, Consumer to Consumer (C2C), de Consumidor para Consumidor, Business to Administration (B2A), de Empresas para Administração, Citizen to Government (C2G), de Cidadão para o Governo, Mobile Commerce para transações eletrônicas, aquisição e vendas de bens e serviços por meio de dispositivos mobile, e Social Commerce, que integra as lojas às redes sociais.

O caso da Cueca Store, constitui-se de um e-commerce e loja de cueca que oferece seus produtos online com diversas formas de pagamento, garantindo o conforto e qualidade da moda íntima masculina. Em seu site é possível comprar cuecas e enviá-las para todo o Brasil dentro no prazo estabelecido no momento da compra, de modo simples e eficiente, realizando toda a transação digitalmente.

Avatar

Encontre publicações de diversos segmentos e nichos só aqui no portal Universo de Negócios!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *