Pesquisa aponta que o e-commerce na Black Friday cresceu 5,8%

Lojas virtuais faturaram R$ 5,149 bilhões ao longo das 48 horas de evento; ticket médio subiu 6,4% em 2021

A Black Friday 2021 superou os números de 2020. Segundo o relatório da Neotrust, uma das referências em dados do mercado digital, o e-commerce brasileiro teve um faturamento de R$ 5,419 bilhões, número 5,8% maior do que o registrado no ano passado. Apesar de o total de vendas ter caído 0,5% (7,6 milhões em 2021), o ticket médio subiu para R$ 711,38, taxa de 6,4% acima da de 2020.

Todos esses resultados foram monitorados durante as 48 horas de evento, que começou na quinta-feira (23) e durou até às 23h59 do dia seguinte. O valor movimentado, somente na sexta-feira, foi de pouco mais de R$ 4 bilhões, cerca 4,5% acima do montante do ano anterior. Vale destacar que, durante os dois dias de promoções, a ClearSale, empresa especializada em segurança e score de crédito, projetou uma quantia de R$ 66,3 milhões em fraudes evitadas no comércio eletrônico.

Performance por categoria

 Dentre os produtos mais vendidos no e-commerce nacional durante a Black Friday, o grande destaque foi o setor de moda e de acessórios, seguido pelos segmentos de beleza e de perfumaria, telefonia, eletroportáteis e eletrodomésticos. Já quando o assunto é faturamento, o top 5 foi formado da seguinte maneira: telefonia, eletrodomésticos, eletrônicos, informática e móveis.

Perfil do consumidor

 Com maior participação feminina (57% contra 43% dos homens), as compras no comércio eletrônico tiveram bom alcance entre o público jovem, durante os dois dias de campanha. Na divisão por faixa etária, pessoas de 26 a 35 anos constituíram 35% dos clientes. Em seguida, as faixas de 36 a 50 anos (34%), até 25 anos (17%) e mais de 51 anos (14%) compõem o ranking do público consumidor. Já na análise geográfica, o Sudeste foi responsável por 61% dos pedidos; o Nordeste, por 16%; o Sul vem a seguir, com 14%; o Centro-Oeste, com 6% e o Norte fechou com 2%.

Projeção antes da Black Friday

 Segundo a pesquisa “A jornada do consumidor na Black Friday”, produzida pela All iN e pela Opinion Box, cerca de 60% dos consumidores pretendiam ir às compras durante o evento. Foram ouvidas 1.018 pessoas, em todas as regiões do país e de diferentes classes sociais, em meados de outubro. A maior parte dos interessados pretendia comprar itens de necessidade, sendo que 26% desejavam adiantar as compras de Natal e 22% estavam abertos a aproveitar promoções de produtos que não planejavam adquirir.

 Um dado relevante é que as vendas do e-commerce chegaram a aumentar 31% nos sete dias que antecederam a Black Friday 2021, em comparação com o mesmo período do ano anterior, totalizando R$ 2,8 bilhões em faturamento. Dados da NielsenIQ|Ebit mostram que o volume de pedidos aumentou 11%, subindo para 5,1 milhões, e o ticket médio saltou 14%, indo para R$ 533,00.

Lojas apostam no marketing digital

 Para maximizar as vendas e conquistar novos clientes durante a Black Friday, os estabelecimentos eletrônicos seguiram uma receita que vem dando certo nos últimos anos: investir em marketing digital. Desde o início da pandemia e com o fechamento do comércio físico, o e-commerce se consolidou de vez no dia a dia dos consumidores e foi necessário que as lojas apostassem em campanhas on-line.

De promoções, peças publicitárias e conteúdo relevante para gerar engajamento, as empresas entenderam como se relacionar com o consumidor nas redes sociais, compreendendo suas demandas e necessidades. A partir disso, as lojas passaram a promover uma experiência mais completa e diferenciada para capitalizar e fidelizar novos clientes.

Encontre publicações de diversos segmentos e nichos só aqui no portal Universo de Negócios!