Estudo mostra relação entre depressão e doença do olho seco

Pesquisa aponta ainda que população global com cegueira ou outro tipo de deficiência visual pode dobrar até 2050

Estudo realizado por pesquisadores da Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, publicado na revista JAMA Ophthalmology, a partir do portal Terra, mostra relação entre depressão e doença do olho seco. Para a análise, os pesquisadores, durante um ano, examinaram a rotina de 535 pessoas com sintomas moderados a graves da doença dos olhos de 27 centros de oftalmologia e optometria. Os participantes passaram por diversas avaliações, e, a partir disso, foi entendido que pacientes com depressão tiveram piores sintomas da doença ocular.

População com cegueira e deficiência visual vai dobrar até 2050

Ainda sobre saúde ocular, segundo estudo do Grupo de Especialistas em Perda da Visão (VLEG), a partir do portal G1, a população global com cegueira ou outro tipo de deficiência visual pode dobrar até 2050, apresentando também que, em 30 anos, a quantidade de cegos ou pessoas com algum tipo de problema moderado ou severo na visão pode alcançar 535 milhões. 

O fenômeno é agravado por alguns pontos, como o crescimento e envelhecimento populacional, hábitos alimentares ruins, alta exposição a telas de smartphones e falta de acesso a atendimentos oftalmológicos, segundo o coautor da pesquisa e professor da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP/USP). “A tendência, pelo envelhecimento populacional e aumento da população, é que isso piore bastante. Se a gente mantiver o ritmo de atendimento nosso esse problema vai ser bem maior” diz o pesquisador.

Os especialistas analisaram as tendências de cegueira e deterioração na visão nos próximos anos, estimando que 61 milhões de pessoas serão cegas; 360 milhões irão ter deficiência visual leve; 474 milhões, deficiência visual moderada a severa; e 866 milhões, presbiopia não corrigida, isto é, condição ligada ao envelhecimento em que o olho perde a capacidade, aos poucos, de focar objetos próximos. 

Segundo o coautor da pesquisa, a não utilização de óculos, que podem ser encontrados atualmente em óticas on-line, é o motivo central ligado à expectativa de crescimento dos números. Ainda segundo ele, a catarata também faz com que as projeções cresçam, em razão do atendimento à saúde abaixo do necessário. 

“A falta do acesso, seja ela uma barreira geográfica, econômica ou uma carência do setor público e privado, ou até o nível três, que seriam as filantropias, seria a causa principal. Então não é que a pessoa que enxerga mal não quer procurar tratamento, ela não consegue por algum motivo. No nosso cenário, a maioria das vezes essa é uma barreira financeira”, declara. Ele ainda acrescenta que “muitos dos problemas que acontecem nos olhos refletem problemas gerais de saúde. O grande exemplo é a diabetes: se a pessoa se mantiver saudável, com peso adequado, com exercício físico regular, dieta balanceada, isso diminui muito os problemas”, finaliza.

Encontre publicações de diversos segmentos e nichos só aqui no portal Universo de Negócios!