Data Driven|Exemplo de causa e efeito utilizando data driven

Como desenvolver uma cultura de data driven no seu e-commerce?

Nos dias atuais, é natural que os dados estejam por toda parte. A ascensão das mídias sociais e a popularização dos smartphones são dois elementos fundamentais para a geração de bilhões deles todos os dias. Se analisados e processados de forma correta, podem servir como grandes aliados para que gestores e donos de negócios melhorem os indicadores de vendas. A partir disso, conhecer e implementar o conceito de data driven é algo fundamental para um e-commerce. 

Mas o que significa isso? De forma simplificada, estabelecer uma cultura de data driven é estabelecer processos e práticas dentro da empresa orientados por dados. Ou seja, é não tomar uma decisão baseada em “achismos”. 

Henrique Duarte, da Agência FG, comenta que, de fato, nós já trabalhamos com milhões de informações, e os e-commerces já sabem como captá-las dos clientes. Contudo, o que falta é o completo aproveitamento da utilidade dessa base. 

Neste sentido, é preciso elaborar uma análise mais estruturada daquela base. Comece com a avaliação do ponto considerado mais importante dentro da sua estratégia: a relação de causa e efeito. Em resumo, isso quer dizer que, se você tem um objetivo, é preciso entender o que é necessário para alcançá-lo. 

Para exemplificar, considere a seguinte situação. Imagine um funil no qual os KPIs estão definidos a partir do número de visitas no site, da quantidade de pedidos feitos, da receita captada e, por fim, da receita paga efetivamente. Vide o exemplo abaixo:

Exemplo de causa e efeito utilizando data driven

Nesse caso, para que as visitas possam ser convertidas, idade, gênero, localização, histórico de compras e pesquisas contemplando os itens buscados devem ser observados para atender às necessidades daquele público.

Depois, para que os pedidos sejam convertidos em receita captada e aumento de ticket médio, é interessante testar o oferecimento de descontos progressivos. Isso pode ser feito por meio do cross-sell. Dessa forma, você analisará os resultados e poderá concluir se a estratégia vale, ou não, a pena de ser adotada. 

Por fim, para que a receita captada seja convertida em receita paga, experimentar outras possibilidades de pagamentos pode ser uma boa alternativa. Ofereça Pix e recuperação de boleto ou, quem sabe, um desconto para compras realizadas no cartão de crédito.

Para encerrar, talvez você esteja se questionando sobre o motivo pelo qual deveria mudar a forma como o seu e-commerce atua. A principal questão está no fato de que negócios que utilizam dados nas análises e ações têm vantagem sobre os concorrentes. Como disse anteriormente, as tomadas de decisão orientadas por informações organizadas são muito mais eficientes do que aquelas baseadas em achismos.

Com isso, o e-commerce que se vale do data driven apresenta algumas vantagens significativas em relação aos negócios que não o utilizam. Pense nisso e bons negócios!

Conteúdo escrito por: Vinicius Correa, CEO e fundador da Mailbiz.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

COMPARTILHAR