Segundo dados, exportação de vinhos volta a quebrar recordes

O ano de 2017 foi especial para produtores e empresas que fornecem vinho português, já que esse foi um período de grande sucesso. No ano de 2016, pela primeira vez em duas décadas, a exportação da bebida caiu consideravelmente, mas a tendência está se revertendo.

No ano passado, as vendas de vinho de Portugal cresceram uma porcentagem de 8 a 10%, que significa um valor maior do que 780 milhões de euros. Além da quantidade de vendas ter aumentado, os vinhos que são mais caros tiveram uma elevação na sua quota e o preço médio melhorou ainda mais.

Jorge Monteiro, que é o presidente da ViniPortugal, uma associação vocacionada para a promoção externa do vinho português, acreditou que o mercado interno iria ter um crescimento de 7% em seu valor, o que também é excelente para uma maior movimentação no setor.

Jorge ainda cita que realmente foi um ano muito bom para a exportação de vinhos, já que aqueles resultados negativos de 2016 ficaram no passado.

Para este ano de 2018, Manuel Pinheiro, presidente da Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes, espera um crescimento de 10% nas vendas ao exterior, o que trará lucros significativos e melhorará ainda mais os resultados.

 Como foi a exportação em alguns países

Em 2016, as empresas de exportação de vinhos contaram com uma queda brusca, chegando até mesmo a deixar os valores no vermelho. Mas, no ano passado, os dez principais mercados de vinho nacional tiveram aumento em seus valores, e aqueles que apresentaram uma queda o fizeram em um nível bem baixo.

A França é o país que continua sendo o principal comprador de vinho de Portugal. Nos Estados Unidos, houve um crescimento de 8,3% no valor de compras e 7,6% no volume entre os meses de janeiro e setembro.

O país norte-americano, aliás, sustenta uma posição cada vez mais importante na importação de vinhos. Isso se dá pelo fato de que muitos veículos de comunicação especializados em vinhos atestam a qualidade dos rótulos portugueses, bem como sites com classificações dos melhores vinhos, o que faz as compras dispararem.

Também, é curioso citar que a venda do vinho português para os Estados Unidos é feita a valores maiores do que os que se vê na média do mercado. Por exemplo, enquanto o preço médio do litro de vinho português é de 2,51 euros, a média de preços para o país americano é de 3,81 euros, ou seja, um aumento de 51,8% no valor.

Assim como nos Estados Unidos, o Canadá, o Reino Unido e a Alemanha também contaram com reforços significativos em relação à sua movimentação no mercado. O Brasil teve um avanço também muito surpreendente, de 55% em volume e 60% em valores, o que reforça a posição do país tupiniquim como apreciador do vinho português.

Como competir com os grandes produtores de vinho

Já não é uma exclusividade pensar que a única forma de fazer o vinho português gerar bons frutos comerciais é apostar em seu valor agregado, já que o país lusitano é responsável por apenas 2% da produção mundial.

Ainda assim, os excelentes vinhos portugueses podem crescer muito no mercado, principalmente aqueles de produção certificada, que contam com um valor agregado muito maior e uma qualidade também mais elevada, de modo a agradar os consumidores que procuram por um produto com ótimo custo-benefício.

Quem quiser conhecer mais sobre o vinho de Portugal encontrará no blog da Eno Gourmet Premium conteúdos relevantes e de alta qualidade, produzido especialmente para quem é um verdadeiro amante do vinho português.

POsts Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *