Perda de peso após menopausa reduz risco de câncer de mama, segundo pesquisa

Um estudo publicado pela Revista Natura, em conjunto com o Ministério da Saúde, informou que uma em cada doze mortes consequentes do câncer de mama no Brasil (ou 12%) poderia ser evitada através da prática regular de atividade física e reeducação alimentar. No total, esse dado expressa que 2.075 mortes decorrentes do câncer em 2015 poderiam ser evitadas caso as pacientes tivessem o hábito de caminhar cinco vezes por semana.

O câncer de mama em números

Atualmente, o câncer de mama representa o principal causador de mortes via neoplasias malignas em mulheres no Brasil. O Inca (Instituto Nacional do Câncer) afirmou que quase 58 mil mulheres foram diagnosticadas com a doença em 2017. No mundo, o número de casos também está aumentando, e isso devido a três fatores básicos:

·  Envelhecimento da população

O primeiro fator é autoexplicativo. Hoje em dia, as pessoas vivem por mais tempo e, à medida em que a população envelhece, a chance de manifestação de doenças também cresce, e isso se aplica ao câncer de mama.

·  Negligência do preventivo

A detecção tardia é um problema real no Brasil, advindo da falta de empenho pelo exame preventivo, o que acarreta um diagnóstico “atrasado”. Este erro costuma acontecer em países que não investem em políticas públicas de diagnóstico precoce.

·  Estilo de vida sedentário

O último fator básico diz respeito ao estilo de vida, o que envolve obesidade, hábitos alimentares, ingestão de bebidas alcoólicas em excesso, ausência de filhos, exposição excessiva a hormônios, gravidez em idade avançada etc.

Ainda de acordo com o Ministério da Saúde, os dados chamam a atenção aos fatores de risco para o câncer de mama. Dentre as mortes provocadas pela doença, 6,5% são atribuídas ao consumo excessivo de álcool, dieta rica em açúcar e índice de massa corporal acima do indicado. Estima-se também que a adoção de hábitos saudáveis evitaria cerca de 40% das mortes decorrentes de doenças crônicas, que totalizam 75% das causas de morte no país.

A importância do diagnóstico precoce

Se a incidência de câncer de mama continuar crescendo no Brasil, como mostra a tendência atual, principalmente entre adultas jovens, chegará o momento em que não haverá fundos suficientes no SUS (considerando o alto custo da doença). Nesse sentido, a detecção precoce do câncer (assim como o desenvolvimento de novos tratamentos e tecnologias) é uma das principais armas para reduzir a mortalidade.

A estratégia de combinar o diagnóstico precoce aos hábitos alimentares saudáveis e à prática de exercícios físicos leva aos melhores resultados na luta pela prevenção e cura do câncer de mama.  Novas técnicas de mamografia também têm contribuído para identificar o câncer em sua fase mais precoce, o que afeta positivamente na expectativa de vida da paciente.

Para lutar contra o câncer de mama, informe-se!

Através do Portal Câncer de Mama, é possível ter acesso a todos os conteúdos referentes à doença, assim como sobre prevenção, tratamento, efeitos colaterais do tratamento e as melhores alternativas para cada caso.

O Dr. Guilherme Novita Garcia é mastologista e idealizador do Portal Câncer de Mama. Navegue pelo site para obter maiores informações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *