Especialistas falam sobre como identificar e tratar manchas na pele

De acordo com pesquisa realizada pela SBD e Datafolha, 60% dos brasileiros não utilizam protetores solares em atividades do cotidiano. Segundo especialistas, expor a pele desprotegida à ação solar de maneira recorrente pode causar manchas e outros problemas de pele

Pesquisa realizada pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), em parceria com o Instituto Datafolha, mostra que o brasileiro tem deixado a desejar no que diz respeito ao cuidado com a pele, sobretudo quando o assunto é exposição solar. No total, 106 milhões de pessoas optam por atividades de lazer com exposição intencional ao sol. 

Apesar disso, apenas 40% dos brasileiros utilizam protetores solares no dia a dia. Isso quer dizer que 95 milhões de pessoas não utilizam proteção contra os raios UVA e UVB de forma regular. Dados da pesquisa apontam, ainda, que seis milhões de brasileiros não utilizam qualquer tipo de proteção solar durante atividades em praias, piscinas, banhos de rio e mais. 

De acordo com a dermatologista especialista da Sociedade Brasileira de Dermatologia Clarissa Prati, o cuidado com a pele deve ser constante. “O efeito da radiação solar é cumulativo, causando danos na pele com o passar dos anos. Logo, os cuidados devem ser constantes como, por exemplo, usar proteção não somente na praia ou piscina, mas sim o dia inteiro: chapéu, protetor solar, usar sombrinha com tecido grosso. As pessoas precisam ser mais conscientes quanto a essa importância do uso de proteção no dia a dia”, explica Prati. 

Manchas na pele: principais causas e tratamentos 

A exposição solar pode causar manchas na pele e outras mazelas. Mas esse não é o único fator que influencia no surgimento dessas incômodas manchas. De acordo com especialistas, as manchas podem, até mesmo, ser sintomas de problemas mais profundos. 

A acne, por exemplo, é uma inflamação cutânea muito comum durante a puberdade, mas que pode deixar marcas para toda vida. Dermatologistas alertam, ainda, que a acne pode atingir diversos públicos, e que o tratamento da condição precisa ser feito de maneira correta, a fim de minimizar o surgimento de manchas na pele. 

Especialistas em Dermatologia também apontam que alterações hormonais são um importante fator no surgimento de manchas na pele, podendo causar o melasma, por exemplo. O melasma pode ser acarretado por situações como gestação, exposição solar prolongada e, até mesmo, o consumo de contraceptivos orais. 

O melasma não tem cura, mas, com o tratamento adequado, as manchas podem ser controladas com cuidados como a aplicação de filtro solar e o uso de cremes especializados prescritos por profissionais da Dermatologia.

Outro importante fator que influencia no surgimento de manchas na pele são doenças inflamatórias, como a psoríase, por exemplo. Essa é uma inflamação agressiva que pode atingir braços, pernas, pescoço e outras partes do corpo. A psoríase não é transmissível e pode estar ligada a fatores emocionais e genéticos. Ainda que não tenha cura, tratamentos dermatológicos podem ajudar a controlar o seu surgimento e, consequentemente, as manchas. 

Dermatologistas alertam que nenhum tratamento contra manchas na pele, sobretudo aquelas que são causadas por doenças como a psoríase e o melasma, deve ser iniciado por conta própria. Pessoas que querem o alívio dos sintomas devem procurar uma clínica de Dermatologia especializada, a fim de evitar possíveis agravamentos decorrentes de tratamentos inadequados.

Avatar

Encontre publicações de diversos segmentos e nichos só aqui no portal Universo de Negócios!