Dicas para iniciante: veja como começar a degustar vinho

Mais do que simplesmente apreciar, há quem procure entender um pouco mais sobre um determinado tipo de bebida para maximizar a experiência. Degustar vinho é uma das atividades que mais despertam o interesse de pessoas adeptas ao consumo da bebida, uma das mais antigas e apreciadas no mundo, mas exige alguns requisitos básicos, como conhecer os tipos de uva, seu sabor e coloração.

Para quem deseja desvendar o universo dos vinhos, existem três regras essenciais que vão moldar seu paladar: começar a beber para se adaptar, provar novos sabores para ampliar horizontes e encontrar as uvas que mais lhe agradam a fim de tornar a degustação mais prazerosa.

Tipos de uvas

Um dos pontos mais importantes para quem deseja degustar vinhos é conhecer os principais tipos de uvas utilizados para a produção da bebida, responsáveis diretos pela sua coloração, aroma e sabor.

Uvas Malbec

Com cachos de tamanho médio, as uvas Malbec possuem taninos fortes, bagos em forma de esfera, casca grossa e escura e uma polpa macia. Bastante associada às produções argentinas, essa uva teve origem em Cahors, no sudoeste francês. Vinhos produzidos com esse tipo de fruta apresentam coloração intensa, de vermelho púrpura, e sabor adocicado e prolongado.

Uvas Merlot

Oriundas da França, as uvas Merlot são conhecidas pelo sabor similar às cerejas maduras doces, de tom suave e balanceado, uma vez que possuem taninos macios e sem muita acidez. Além disso, é uma fruta de aroma perfumado e intenso. Os vinhos produzidos a partir da Merlot costumam ser bem elegantes.

Uvas Carmenére

Também de origem francesa, a Carménère é uma uva bastante popular em países como o Brasil e o Chile. Possui sabor que remete à framboesa madura e à beterraba doce e um aroma de frutas vermelhas e especiarias.

Uvas Pinot Noir

As uvas Pinot Noir são caracterizadas por possuir taninos ligeiros e acidez que varia do nível médio ao alto. São frutas comumente usadas para produzir vinhos mais suaves e discretos, com sabor de frutas vermelhas e que, com o tempo, passa a ter tons de vegetais e herbáceos. Originada na França, é uma uva considerada quase impossível de ser reproduzida em outras regiões do planeta.

Uvas Chardonnay

Considerada a Rainha das Uvas Brancas, a Chardonnay dá origem aos vinhos brancos e é capaz de reproduzir diferentes aromas e sabores cítricos e tropicais. É cultivada em várias partes do mundo, inclusive no Brasil, e depende bastante do terroir (palavra de origem francesa que diz respeito à relação entre o solo e o micro-clima na produção de vinhos) para determinar as características de uma bebida.

Sauvignon Blanc

Com características únicas, a uva Sauvignon Blanc é utilizada na produção de vinhos brancos, destacando-se por seu sabor cítrico e levemente herbáceo, aliado de um forte aroma, frescor e boa acidez. Uma das regiões mais famosas por reproduzir a fruta é a Serra Catarinense, no sul do Brasil.

Nível de doçura

Na hora de degustar um bom vinho, é fundamental ter noções básicas sobre o grau de dulçor da bebida e suas classificações, podendo ser considerado um líquido seco, suave ou meio seco.

Vinho seco

Durante a produção desse tipo de vinho, geralmente são utilizados até cinco gramas de açúcar para cada litro de bebida, de forma a manter os níveis de doçura mais baixos.

Vinho suave

Já essa categoria de vinho é preparada de forma a inserir até 20 gramas de açúcar para cada litro de bebida, elevando o nível de doçura e tornando o sabor mais leve.

Vinho meio seco

Meio termo entre o seco e o suave, esse tipo de vinho carrega em sua composição de 5 a 20 gramas de açúcar para cada litro de bebida, dependendo de cada rótulo.

Coloração do vinho

Para determinar a cor de um vinho, são levados em conta dois fatores principais: o tipo de uva utilizado e o tempo de fermentação da bebida durante o processo de produção. É indicado que degustadores iniciantes sempre se atentem à cor do vinho para aprenderem a reconhecê-lo pelo olhar.

Vinho tinto

Elaborados com uvas de cores mais escuras, roxas e/ou avermelhadas, os vinhos tintos são considerados bebidas encorpadas e constituem o tipo mais consumido no mundo. Em decorrência de suas características, harmoniza bem com carnes, molhos vermelhos e queijos de massa dura, como minas curado, emmental, provolone, cheddar e outros.

Vinhos tintos podem ser classificados em três subtipos: delicados e com aroma, menos encorpados; frutados e suculentos, com aroma mais forte e sabor mais maduro, com tons perceptíveis de frutas; e encorpados e potentes, com sabor bem forte, possuem mais álcool e aroma de madeira.

Vinho branco

Considerado uma bebida mais leve e refrescante, o vinho branco é produzido com uvas brancas ou tintas sem a casca. Como característica principal, possui bastante acidez e é indicado que seja servido mais gelado. É também uma bebida sugerida para todo iniciante de degustação e combina bem com massas, molho branco, frutos do mar, saladas, frango e queijos de massa mole, como brie, camembert e outros.

Divididos em duas subcategorias, os vinhos brancos podem ser frescos e minerais, com maior frescor e aroma de maresia; e frutados e maduros, mais encorpados, leves, refrescantes e com aroma de frutas.

Vinho rosé

Caracterizado pela sua leveza, o vinho rosé é produzido de duas formas: a partir da mistura de uvas brancas e escuras ou com uvas tintas que soltam pouca coloração avermelhada durante o processo de fermentação. Sugere-se consumi-lo de 9 ºC a 12 ºC, garantindo o seu frescor. Assim como o vinho branco, o rosé também harmoniza com massas, molho branco, frutos do mar, saladas, frango e queijos de massa mole.

Quer ficar por dentro de mais dicas de bebidas e alimentação? Acompanhe o Universo de Negócios, um divulgador de notícias sobre os mais variados segmentos, e saiba também como publicar release na mídia, enviando seu conteúdo para análise com a equipe do portal.

Avatar

Encontre publicações de diversos segmentos e nichos só aqui no portal Universo de Negócios!