Até 2030 o câncer deve ser a principal causa de morte no mundo, segundo pesquisas

O câncer é um conjunto de mais de 100 doenças que têm entre si a característica comum de crescimento desorganizado de células, que tendem a dominar tecidos e órgãos. Essas células se dividem rapidamente e tendem a ser cada vez mais agressivas, com isso se formam tumores que se espalham rapidamente por outras regiões do corpo.

Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), o câncer de mama é o mais comum entre as mulheres do mundo inteiro, correspondendo a cerca de 25% dos casos que surgem a cada ano. No Brasil, o percentual é de 29%, sendo também o tipo mais comum no sexo feminino. Para 2018, foram estimados 59.700 casos de câncer de mama.

Aumento da taxa de mortalidade por câncer

Estima se que os casos de câncer chegarão a aumentar cerca de mais de 50% até 2030, quando serão diagnosticados no mundo quase 22 milhões de casos da doença. Um dos fatores a que se deve o aumento é o espalhamento da doença pelos países em desenvolvimento. Com isso, as mortes pelo fator câncer passarão de 8,2 milhões para 13 milhões por ano.

O câncer de mama é o número um em taxa de mortalidade em mulheres de todo o mundo. A cada ano o número de mulheres atingidas por esse câncer aumenta, e, quando não diagnosticado no início, pode levar a óbito.

No Brasil, 80% das mortes causadas por câncer estão em cidades concentradas nas regiões Sul e Sudeste, as mais desenvolvidas do Brasil. Curiosamente, trata-se da área onde a expectativa de vida é maior e o índice de desenvolvimento humano é mais alto. Já o Nordeste tem 9% dos casos contabilizados, o Centro-Oeste concentra 7% e o Norte, por fim, 4%.

O câncer é uma das principais causas de morte no mundo. Em 2018 foi responsável por cerca de 9,6 milhões de mortes. Os tipos mais comuns são:

– Câncer de pulmão: esse câncer tem como maior fator de risco o tabagismo. Os tabagistas têm de 20 a 30 vezes mais risco de desenvolver esse câncer do que pessoas que não fazem uso do tabaco.

– Câncer de mama: ele possui incidência maior na população feminina. Entre os fatores de riscos estão: envelhecimento, reprodução, histórico familiar, consumo de álcool, excesso de peso, sedentarismo, dentre outros. Sendo ainda a idade um dos mais importantes fatores de riscos.

– Câncer de estômago: no Brasil, a incidência maior é em pessoas do sexo masculino, tendo como fatores de risco: consumo de alimentos conservados no sal e defumados, obesidade, álcool em grande quantidade, tabagismo, e, principalmente, a infecção ao longo do tempo por meio da bactéria H. pylori.

– Câncer de próstata: é o segundo maior entre os brasileiros, com incidência em pessoas do sexo masculino. A grande maioria manifesta a doença a partir dos 65 anos. Alguns tumores crescem de forma rápida se espalhando e levando a morte. Outros levam a vida toda para se manifestar e acabam por não dar sinais e não ameaçam a vida do homem.

Fatores simples para a prevenção do câncer de mama

Cerca de 30% dos casos de câncer de mama podem ser prevenidos com ações simples do dia a dia. Como:

  • Criar o hábito de praticar atividades físicas;
  • Optar por uma alimentação saudável;
  • Manter o peso corporal adequado ao seu biótipo;
  • Evitar o consumo de bebidas alcoólicas;
  • Amamentar (no caso de mulheres que tenham bebês, escolha prolongar o tempo de amamentação);
  • Procurar evitar a ingestão de hormônios sintéticos, como anticoncepcionais e terapias de reposição hormonal.

É importante estar sempre atenta aos sinais. Conhecer o seu corpo e saber identificar algo diferente é essencial. A maioria dos cânceres são descobertos pelas próprias mulheres. Assim, o câncer pode ser detectado na fase inicial, aumentando a possibilidade de tratamentos menos agressivos e elevando a taxa de sucesso.

Na luta contra o câncer de mama, é essencial estar informada

O Doutor Guilherme Novita Garcia é um renomado mastologista, especializado em câncer de mama. Ele conta com diversos projetos que têm por finalidade conscientizar pessoas sobre o câncer e, principalmente, informar sobre a importância da prevenção. Além disso, os projetos também são essenciais no conhecimento sobre os possíveis tratamentos para essa doença que vem afetando grande parte da população.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *