Por volta de 45% das empresas que vendem online ainda não estão em Marketplaces

Hoje, os maiores marketplaces são Mercado Livre e B2W, largando na frente, seguidos por Amazon, Magazine Luiza e outros menores.

Essa mudança de paradigma do mercado trouxe um grande crescimento para os pequenos negócios, uma vez que utilizam o tráfego e a credibilidade dessas grandes marcas para venderem seus produtos com mais facilidade.

Porém, seja por desinformação ou falta de interesse, uma pesquisa recente apontou que 45% das empresas que vendem online ainda não fazem uso dos marketplaces.

“Atualmente, não estar em marketplaces significa ter mais custos com tráfego, porque a empresa precisa conseguir os clientes por ela mesma, o que dá mais trabalho”, ressalta Victor Palandi, empreendedor e especialista em marketing digital.

Os segmentos presentes nos marketplaces são os mais variados, desde moda até tecnologia, com produtos cujos preços variam de R$ 1 a R$ 100 mil. Não há limites ou barreiras para a prática dessa estratégia de vendas online. Contudo, como se destacar em meio a tantas ofertas nos marketplaces?

“Devido à comissão que é dada ao marketplace, fica difícil dar muito desconto, se não a margem de lucro some. Porém, se você não tiver um preço melhor que do concorrente, raramente vão comprar da sua loja. Logo, é necessário cortar o máximo de custos possível para conseguir repassar esse ganho ao público final”, aconselha Victor Palandi.

Outra estratégia também compartilhada pelo especialista orienta a não ter lucro na primeira venda, mas ter um plano para realizar vendas futuras. Por exemplo, enviar um panfleto junto com o produto, dando algum desconto para a próxima compra, ou mesmo com outras ofertas que complementem o que a pessoa comprou.

“Isso se chama aumentar o Lifetime Value do cliente, ou seja, o quanto ele te traz de dinheiro ao longo do tempo em que compra da sua loja. Quanto maior o LTV, maior o lucro em longo prazo”, destaca Palandi.

Por fim, também é importante caprichar no frete. “Quem tem a vantagem de cobrar frete mais barato e/ou entregar o produto mais rapidamente, também sai na frente nos marketplaces”.

O importante é não fazer parte da estatística dos 45%. Participar, hoje, de marketplaces é uma ótima jogada de marketing. 

É possível acompanhar Victor Palandi em https://instagram.com/palandivictor/ para mais dicas. 

cuecas masculinas

Encontre publicações de diversos segmentos e nichos só aqui no portal Universo de Negócios!

Deixe um comentário