Uma em cada três matérias são ministradas por professores sem formação específica, segundo dados

O Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) liberou dados do Censo Escolar da Educação Básica referentes ao ano de 2018. A pesquisa levou em consideração informações de escolas públicas e particulares para mensurar a qualidade da educação do País. Entre os principais dados informados no documento, o que mais chamou atenção é aquele que revela que uma a cada três matérias lecionadas é ministrada por professor sem formação específica.

Ao menos uma a cada três matérias ministradas em escolas de todo o país é coordenada por docentes sem formação na área, e os dados relacionados variam de acordo com a etapa do ensino. No ensino fundamental, somente 58% das disciplinas são lecionadas por professores capacitados na área. Já no ensino médio, a porcentagem chega a quase 62%.

Nos primeiros anos do ensino fundamental, do primeiro ao quinto ano, cerca de 63% das matérias são ministradas por professores devidamente licenciados. Nos anos finais, do sexto ao nono ano, essa porcentagem cai para 51,7%, demonstrando que quase metade das disciplinas é ministrada por professores que não tiveram formação na área.

Ausência de capacitação varia de acordo com a região

A situação varia consideravelmente de acordo com as regiões do Brasil. A maioria das matérias oferecidas por professores devidamente formados na área se concentra no Sudeste. Na região, a soma de todas as etapas de ensino indica que 67% das disciplinas estão nas mãos de professores especializados. O Nordeste, por outro lado, tem os piores indicadores. Nos últimos anos do ensino fundamental, apenas 33,6% das disciplinas são ministradas por professores com formação específica.

No total, o Brasil conta com 762.884 professores de educação básica, segundo o Censo. Do montante, pouco mais de 77% contam com licenciatura em alguma área, 6,3% ainda estão na graduação, 1,2% contam com apenas um bacharelado e 11% possuem magistério ou formação tradicional. Por outro lado, 4,3% têm apenas o ensino médio ou inferior. Desde 2014, todas as formações estão apresentando diminuição, exceto aquela dos profissionais licenciados, cuja porcentagem era de 71,5% cinco anos atrás.

Capacitação estrutural das escolas

O Censo realizado pelo Inep também divulgou informações acerca da estrutura das escolas. A pesquisa mostra que apenas 63,4% dos edifícios públicos estão equipados com acesso à internet. Entre as escolas particulares, o dado chega a 96% (apenas no ensino fundamental). Em relação ao ensino médio, as porcentagens são de, respectivamente, 93,6% e 98,7%.

Por outro lado, apenas 8% das escolas públicas contam com laboratório de ciências no ensino fundamental. A porcentagem sobe para 38,8% no ensino médio. Já nas instituições privadas, a porcentagem é de 26,3% para o ensino fundamental e 57,2% para o ensino médio.

A importância dos cursos de capacitação para a melhoria do ensino do país

Tendo em vista os números alarmantes acerca da porcentagem de matérias que são ministradas por professores que não contam com a capacitação necessária, é visível o quanto a aplicação de treinamento, como com os cursos livres com certificado, é fundamental para a melhoria da educação no país.

Encontre cursos para capacitação de professores no Estude Sem Fronteiras

Por meio do Portal Estude Sem Fronteiras, pertencente à Faculdade Metropolitana do Estado de São Paulo, os professores e profissionais de ensino têm acesso a mais de 750 cursos de Aperfeiçoamento, Extensão ou Pós-graduação.

Navegue pelo site para conferir todas as opções.

Deixe uma resposta