Segundo dados, Brasil registra 782.644 empresas abertas no 2º quadrimestre de 2020

Excedendo todas as expectativas, o Brasil registrou a abertura de 782.664 novas empresas no segundo quadrimestre de 2020 de acordo com o Ministério da Economia.

Esse número representa uma alta de 6% em relação ao primeiro quadrimestre e de 2% em relação ao mesmo período de 2019. Dentre os fatores que podem ter influenciado tal ascensão, o tempo médio de abertura destaca-se, uma vez que caiu para dois dias e 21 horas. 

Qual o perfil do novo empreendedor brasileiro? 

A alta no número de empresas em atividade foi de 4,5% em relação ao primeiro período do ano de  2020, somando 19.289 milhões. Segundo dados divulgados pelo Ministério da Economia, microempreendedores individuais são responsáveis por 55,4% das empresas ativas no Brasil durante o período analisado. 

Microempresas também representaram o maior número de registros no segundo quadrimestre deste ano, contando com mais de 880 mil  inscrições, o que equivale a 79,8% do total de novas empresas. 

O varejo focado em vestuário foi uma das atividades com mais registros, acumulando  68.711 novos empreendimentos. Enquanto isso, o setor de vendas no geral ganhou mais 51.153 empresas abertas. O mercado de fornecimento de alimentos também não ficou para trás: 43.370 empresas foram registradas pela primeira vez, um crescimento de 68% em relação ao mesmo período do ano passado. 

Quais as razões para tal crescimento?

Segundo a subsecretária de Desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas, o aumento do desemprego não é o único fator que explica o interesse do brasileiro em abrir o próprio negócio. De acordo com ela, houve uma desaceleração no crescimento dos MEIs, o que não foi impactado pela crise. 

O secretário adjunto de Desburocratização, Gestão e Governo Digital aponta que o crescimento pode ser atribuído a fatores como a redução da burocracia envolvida no processo, mudanças nos padrões de consumo, análise de oportunidades mais atrativas e também ao cenário econômico de forma geral.

Desburocratização do processo

No primeiro quadrimestre de 2020, empresários esperavam, em média, três dias e 21 horas para abertura de um negócio. Já no segundo quadrimestre, houve uma redução geral de um dia, fazendo com que o novo prazo médio para formalização de um empreendimento fosse de 2 dias e 21 horas.

Goiás, onde a abertura toma, em média, um dia e uma hora, tomou a liderança como o estado com o menor tempo de formalização de novas empresas. Logo após, vem o Distrito Federal, onde empresas levam um dia e duas horas para serem abertas. 

Novos empreendimentos, novas necessidades

A cada dia, novos negócios surgem no mercado e, principalmente em meio à crise, destacar-se é um imperativo. Empresas novas podem ter dificuldades em estabelecer-se como empreendimentos sólidos, principalmente frente aos potenciais clientes e à concorrência acirrada.

Por isso, investir em uma comunicação visual de qualidade torna-se essencial para que uma empresa possa contar com uma rede de clientes fidelizados. Uma maneira prática e eficaz de começar o processo é pensar na identificação dos funcionários e respectivos crachás. 

A Badge é uma empresa experiente no mercado, atuando desde 2009 no ramo de cordão para crachá, além de produzir porta crachá retrátil e outros acessórios. Por meio da constante atualização e aplicação de tecnologia de ponta nos processos, a empresa é capaz de oferecer as melhores soluções para aqueles que optam pelos serviços por ela oferecidos.

Avatar

Encontre publicações de diversos segmentos e nichos só aqui no portal Universo de Negócios!