Pesquisa indica que 63,05% das pessoas se expõem ao sol sem qualquer proteção

Pesquisa recente da 21ª Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer de Pele aponta que os brasileiros ainda não fazem uma proteção adequada durante a exposição aos raios solares. Segundo estimativa, o Brasil terá 625 mil novos casos de câncer de pele a cada ano no triênio 2020-2022 

Estimativa recente realizada pela 21ª Campanha Nacional de Prevenção de Câncer de Pele, promovida pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), mostrou que 63,05% da população brasileira ainda se expõe ao sol sem qualquer proteção, ficando vulnerável à incidência dos raios solares.

Em dezembro de 2020, foram registrados 4.197 mil novos casos de câncer de pele no país. Durante a realização da campanha, foram diagnosticados 2.744 mil casos de carcinoma basocelular (CBC), 835 casos de carcinoma espinocelular (CEC), 420 casos de melanoma e outras 198 incidências de tumor maligno. 

O câncer de pele não melanoma e melanoma: diferenças

A exposição ao sol realizada com recorrência pode acarretar o desenvolvimento do câncer não melanoma, doença menos grave – apesar de poder causar deformações – e que pode acometer ambos os sexos. Esse é o tipo de câncer mais frequente no Brasil. 

Segundo dados fornecidos pelo Instituto Nacional do Câncer (INCA), o tipo não melanoma é mais frequente em homens da região Sul (160,08/100 mil), Sudeste (89,80/100 mil) e Centro-Oeste (69,27/100 mil). 

O câncer melanoma, por sua vez, é a forma mais grave da doença. Com frequência mais rara, pode levar o indivíduo a óbito. Ambas as formas têm cura se forem descobertas cedo. Ainda segundo o INCA, há 2.920 mil casos novos em homens e 3.340 mil casos novos em mulheres ao ano, com maiores incidências na região Sul.

Como proteger a pele adequadamente

Levando em consideração que os números de incidências de pessoas com câncer de pele ainda são altos, é importante adotar medidas de proteção ao se expor ao sol, como as apresentadas a seguir:

Filtro solar

A aplicação do filtro solar é uma das medidas essenciais para uma proteção adequada da pele e deve ser diária. Sua utilização previne tanto o desenvolvimento do câncer como a formação de queimaduras. 

O Brasil é um país localizado em uma área geográfica com um número elevado de radiação UV durante boa parte do ano, não somente no verão, e, por isso, a utilização do filtro solar precisa se tornar um hábito.

Segundo especialistas, o ideal é utilizar, no mínimo, um filtro solar com fator de proteção 30, e aplicar a quantidade referente à uma colher de chá em cada parte do corpo: rosto, cabeça (na ausência de cabelos) e orelhas, braços e antebraços (uma para cada), pernas e parte posterior e anterior do tronco, sempre reaplicando o produto a cada duas horas. Se entrar em contato com a água, o produto deve ser reaplicado também.

Roupas 

Além do uso do filtro solar, também é recomendada a utilização de roupas certas para a exposição ao sol. O indicado é utilizar peças com fator de proteção solar e aderir ao uso de acessórios que auxiliam no combate aos raios solares, como chapéus e óculos escuros. O uso de guarda-sol com tecido mais resistente também é recomendado.

Horário 

O horário de exposição também influencia diretamente em uma prevenção eficiente e de qualidade. Recomenda-se evitar o sol entre às 10h e 15h. Fora do horário recomendado, os raios solares podem ser fortes e nocivos para a pele.

Além de todas essas medidas, é necessário investir em cuidados com a pele diários e em especialistas. Atualmente, há várias clínicas de dermatologia especializadas na saúde da pele, como a DermaSEr, contanto com uma equipe de médicos e especialistas que realizam serviços diversos para o bem-estar da pele.

Avatar

Encontre publicações de diversos segmentos e nichos só aqui no portal Universo de Negócios!