Pesquisa aponta que o principal desafio do home office é a socialização e comunicação

Grande parte dos trabalhadores relata estar “muito confortável” com o modelo de trabalho remoto, mas manter o engajamento dos colaboradores é um desafio para 65% dos entrevistados 

De acordo com pesquisa realizada pela Worldwide ERC, em parceria com a Global Line – empresa brasileira especializada em consultoria e treinamento em diferenças culturais, trabalho em equipe, diversidade e outros assuntos corporativos –, mais da metade (58%) dos profissionais está “muito confortável” com o home office.

Os resultados são fruto de entrevistas com colaboradores de 145 empresas multinacionais com operações no Brasil. Ainda de acordo com o estudo, 36% dos entrevistados afirmam estar apenas “confortáveis”, enquanto apenas 6% relatam desconforto em desempenhar suas funções de casa. 

A entrevista também passou por pontos como a dificuldade de se trabalhar em equipe remotamente, com 91% dos participantes relatando que a dinâmica das atividades é “muito parecida com o normal”, “muito fácil” ou apenas “fácil”. Apenas a minoria dos entrevistados (9%) relatou que sua rotina de trabalho em grupo é “difícil”.

Apesar disso, nem todos os aspectos de se trabalhar em casa são totalmente positivos para trabalhadores que participaram da entrevista. Entre os desafios citados, a socialização foi o mais abrangente, sendo apontado por 68% dos colaboradores. 

O desenvolvimento de confiança (33%), comunicação (28%) e troca de feedback (28%) também se destacaram. Também houve aqueles que relataram dificuldades em manter a meta comum (22%), liderar sua equipe (15%) e, por último, fazer amizades (14%). 

Desafios para empresas durante o home office

Colaboradores também levantaram pontos de atenção para empresas que desejam manter suas operações remotas. Para 79% dos entrevistados, a segurança de dados é muito importante, seguida de uma comunicação efetiva (74%), foco na cultura colaborativa (70%) e manter o alto engajamento de colaboradores (65%). 

Além disso, receber e acolher novos colaboradores também é preocupação de 53% dos entrevistados, assim como repensar práticas organizacionais (52%) e avaliar a performance dos colaboradores (51%). Investir em ferramentas ou treinamentos para desenvolvimento pessoal também foi um ponto levantado por 49% dos colaboradores que participaram da pesquisa. 

Auxílio Home Office como solução para trabalho remoto

Boa parte dos entrevistados (42%) relatou que sua conexão doméstica com a Internet deixa a desejar. Esse é apenas um dos problemas estruturais de se trabalhar em casa, de acordo com os participantes. 

Por isso, muitas empresas adotaram o Auxílio Home Office como forma de amenizar as diferenças entre o ambiente de trabalho e o escritório doméstico. Ricardo Salem, CEO e Fundador da Flash Benefícios, a maior empresa de benefícios flexíveis do Brasil, explica: “O home office parcial ou total virou normal. Há dias em que o colaborador não usa transporte e pode gastar em medicamentos ou terapia. Também está toda hora trocando o delivery pelo supermercado e vice-versa”.

Na solução da Flash, empresas podem disponibilizar um saldo digital para que seus colaboradores paguem contas de consumo, como luz, água ou internet. Além disso, colaboradores também têm a opção de comprar itens de escritório em alguma das lojas parceiras da empresa de benefícios.

Avatar

Encontre publicações de diversos segmentos e nichos só aqui no portal Universo de Negócios!