Pesquisa aponta que e-commerce teve alta de 55,88% em setembro de 2020

Por conta das medidas de restrição em combate à covid-19, o consumidor dá preferência a compras online

Devido à pandemia causada pelo novo coronavírus, o setor de e-commerce conta uma grande alta no ano de 2020. Conforme o índice MCC-ENET do Comitê de Métricas da Câmara Brasileira da Economia Digital, com o Neotrust | Compre & Confie, em setembro deste ano, o e-commerce teve alta de 55,88%. O índice também indica que o aumento do faturamento foi ainda maior, com cerca de 66% de crescimento.

Consumidores do e-commerce

Uma das questões avaliadas pelo índice foi a de que 17,9% de todas as pessoas que acessam a Internet no Brasil realizaram uma ou mais compras online de julho a setembro de 2020. Esse dado permite uma comparação com o mês de setembro de 2019, quando apenas 11,3% do público brasileiro realizou compras virtuais.

Análise das regiões

As regiões brasileiras também foram analisadas separadamente para a composição do índice, de modo que foi possível observar um crescimento exponencial de cada uma delas em relação a setembro do último ano.

O Nordeste foi o campeão no crescimento das vendas online, sendo que o aumento registrado foi de 92,25%. A região Norte ficou em segundo lugar, com uma alta de 66,88%. No Centro-Oeste, o aumento foi de 64,42%. Já no Sul, a alta verificada foi de 60,19%. Por fim, na região Sudeste, registrou-se um crescimento de apenas 47,47% nas compras realizadas em e-commerces. 

Segundo o fundador do Neotrust | Compre & Confie, o aumento pouco evidente do Sudeste se deu por conta, entre outros fatores, da falta de estoque de produtos que estavam com crescentes vendas.

Produtos que mais se destacam

Segundo uma pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), com base de dados de agosto, as categorias de produtos que mais foram vendidos, em ordem decrescente, são:

  • Equipamentos e materiais de escritório, comunicação e informática;
  • Produtos pessoais e domésticos;
  • Roupas, calçados e tecidos;
  • Bebidas e fumo etc.

Esses dados representam que a pandemia afetou diretamente as compras online, tendo em vista que a categoria mais vendida é a de produtos que auxiliam no trabalho e na comunicação das pessoas enquanto estão em isolamento.

Em sua Pesquisa Mensal do Comércio, o IBGE constatou que, entre todas as vendas realizadas no varejo, 9,9% delas foram realizadas em e-commerces. Esses dados são de agosto e dizem respeito ao comércio restrito, o qual não contempla carros e materiais de construção.

Compras realizadas em e-commerces auxiliam na redução do contágio do novo coronavírus, pois todas as ações relativas à compra são realizadas remotamente. A Cueca Store, por exemplo, é uma loja de cueca online que foca em peças de moda íntima masculina, além de meias, sungas, pijamas, roupas e moda plus size, contando com produtos de diversas marcas reconhecidas no mercado.

Avatar

Encontre publicações de diversos segmentos e nichos só aqui no portal Universo de Negócios!