Movimentação de cargas: porto de Paranaguá registra crescimento de 14,6%

Em março deste ano a movimentação de cargas no porto de Paranaguá contou com 4,93% de toneladas, maior índice já alcançado. Neste ano, o volume foi de 14,6%, resultado maior, se comparado a março de 2014; o aumento foi devido ao crescimento das vendas de milho, farelo de soja e de cargas gerais.

De janeiro a março de 2018, o porto teve 12,73 milhões de toneladas importadas e exportadas. Tendo 9% de volume superior movimentado para um primeiro trimestre até o momento. É perceptível que, com a recuperação da economia brasileira, o campo tem produzido mais.

Com a diminuição da safra americana de milho, os grãos brasileiros garantem seu lugar nas exportações mundiais deste ano. De acordo com o diretor presidente da Administração dos Portos Paranaguá e Antonina (Appa), o porto de Paranaguá está preparado para esse momento, uma vez que consegue ver o volume de demanda de seus usuários.

Segundo os dados apresentados, no primeiro trimestre deste ano foi exportado quase o dobro de milho ao mercado externo, sendo 667 mil toneladas, isso aconteceu no mesmo período do ano passado, em que foram exportadas 379 mil toneladas do grão.

Pesquisas apontam o aumento na movimentação do farelo de soja

Segundo as pesquisas, o farelo de soja teve uma movimentação bastante significativa no mesmo período, tendo 463 mil toneladas exportadas no mês de março e 1,48 milhões de toneladas exportadas nos primeiros três meses de 2018, representando uma alta de 52% relativa ao trimestre de 2017.

O porto de Paranaguá exportou para o mercado europeu, em um único navio, 87 mil toneladas de farelo de soja, granel e vegetal.  Além das reformas realizadas, a fim de reforçar o Corredor de Exportação, foram feitas campanhas de dragagem para ampliar o canal e liberar operações maiores, reafirma o diretor.

Outra movimentação registrada no primeiro trimestre de 2018 foi o aumento na exportação de óleos vegetais com 316 mil toneladas e 85% de alta; já os derivados de petróleo, 1,2 milhões de toneladas. Houve, também, 38% de crescimento das cargas gerais, ou seja, 2,48 milhões movimentados e um total de 12% de aumento.

Saiba da importância dos ganchos para amarração de cargas

De acordo com as normas legais, é proibido amarrar as cargas nas travessas da carroceria, aconselha-se, então, o uso de ganchos para amarração de cargas, já que eles são apropriados para esse tipo de serviço, pois se o volume não estiver fixo, é possível ocorrer um deslizamento devido à força de deslocamento ao longo da viagem.

As pessoas responsáveis pelo transporte de mercadorias devem estar cientes de que, independente da velocidade do veículo ou do peso, as cargas sofrem com a força de deslocamento, por isso, elas devem estar bastante fixadas para não haver nenhuma chance de deslizamento.

Por essa razão, é importante que a amarração esteja bem segura, e foi pensando nessa segurança que a Polifitema criou uma linha completa de produtos e de acessórios voltados para o segmento, como a cinta para amarração de carga.

A Polifitema trabalha com produtos de alta qualidade e durabilidade, entre eles os ganchos para amarrar cargas. A empresa tem como objetivo atender seus clientes da melhor forma possível.

POsts Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *